Páginas

domingo, 27 de março de 2011

.:"A eletricidade ligada no dia"*:.


[imagem: deviantart]

"Era domingo. Se fumasse, acenderia agora um cigarro para ficar com ar de pessoa distraída."

[Caio F.]
.
.
.
Domingos são dias longos e estranhos, de ruas vazias e preguiça. Não gosto...
Para onde vão as pessoas aos domingos? E os carros, bicicletas, o movimento, a vida? Gosto mesmo é da agitação da segunda-feira, pessoas atrasadas para os trabalhos, estudantes de tudo quanto é colégio, com suas mochilas carregadas de livros gritando irritantemente suas adolescências, rss. Gosto dos engarrafamentos e de ver os carrinhos dos ambulantes que vendem tapiocas, batata frita, cafezinho e um sem fim de coisas, a lista é enorme, colorindo as calçadas (atrapalhando as calçadas, rss)!

Gosto particularmente do movimento de jovens, aqui do lado de casa, que dão cor à universidade. Cruzamentos, às 18h00, lotados de gente sorrindo, se encontrando para ir ao bar mais próximo, ao shopping, ao (novamente) movimento.

Domingo a cidade repousa. Vendo por esse lado é até bonito mas, não me agrada. Gosto é do movimento, de encontrar zil pessoas nas ruas, me aborrecer com aqueles que passam na calçada empurrando a gente sem sequer pedir desculpas. Gosto da vida pulsante da semana de estudo, trabalho, cansaço, encontro, stress, rss. Sério! Eu gosto meeesmo.

Lembro que quando morava no interior ,era no domingo que eu mais queria não morar em uma cidade pequena. Quando cheguei aqui me surpreendi ao perecber que o "domingo" existia em todos os lugares! Existia como domingo, impondo ecos e ocos sobre todas as ruas. Aquele vazio , as pessoas que sumiam, os carros que eram abduzidos. Quero viver muitos domingos ainda (!), mas é para mim um dia em que produzo pouco, não consigo me concentrar em quase nada, me angustia sabe?

De domingo só gosto de saber que foi o dia em que nasci. Nasci em um domingo!
Acredito que nasci querendo tanto da vida que a morgação domingueira não me agrada até hoje. Eu chorei forte naquele 13 de fevereiro, bradando aos quatro ventos, com meus pequenos pulmões, meu querer por movimento, gente, vida.

Nasci em um domingo bucólico como todos os domingos passados, este e os que virão. Mas rejeitei desde sempre essa "energia de morgação eterna" que os domingos trazem. Nasci disposta à semana, à segunda-feira, ao trabalho, ao encontro, às atividades, aos sons, à avenidas inteiras de transeuntes. Eu nasci para o movimento e por isso naquele domingo, 13 de fevereiro, exatamente às 23h (quase uma segunda-feira), no primeiro dia da semana nascia, ávida pela vida e à procura das pessoas a quem quis e quero encontrar em pleno movimento dessa ciranda do destino!

Definitivamente não tenho esse "ar de pessoa distraída"... Estou sempre alerta e aonde pulsar vida é onde quero estar, é o meu lugar. Nasci assim: Atenta à tudo disposta às delícias desse carrossel gigante.

Boa semana!!!
.Aline.

[*Da canção "menino deus" de Caetano Veloso]

4 comentários:

Anônimo disse...

vc é linda DEMAIS!
te beijo, raphael.

Denise disse...

Bom... eu prefiro o sábado! hehehe

Mas aqui no Paraná, o domingo é igualzinho!! Acho que não tem conserto...

Um bom domingo pra ti! :D

@Francisquices disse...

Os domingos sempre são assim. E da medo esses domingos de Fortaleza.


:)

BelMendes disse...

domingo igual em todo lugar, preguiça de sair de casa acho....
adorei o blog

se quiser comentar e seguir:
http://saiadeflorbm.blogspot.com/