Páginas

sexta-feira, 23 de julho de 2010

.Os brincos mais lindos do mundo!.

Esse post não tem imagem, por que não existem fotografias de seus preciosos pares de brincos. Eles estão guardados em minha memória. Daí, tornam-se ainda mais bonitos e únicos no mundo.

Lembrei dia desses de como minha mãe tentou, sem sucesso, que como todas as meninas eu tivesse orelhas furadas. Não conseguiu, por que meu corpo rejeitava até ouro, rss. Tentou de tudo. Eu também queria, como todas as minhas amiguinhas, ter orelhas furadas. Com uma diferença grande: Gostaria de usar brincos de penas iguais a um que o Caetano Veloso usava em uma capa de LP que minha tia Nilde possuía. Sentava no sofá da casa da minha avó, com a capa do LP no colo e ficava horas à fio admirando o brinco do Caetano, rss. Eu lembro!

Um dia, olhando uma revista Manchete (é a nova!) tinha uma fotografia de alguma atriz do passado com um brinco retangular enorme, perfeito para recorte, rss. Peguei minha tesourinha e recortei os brincos, luxuosos, e os colei. com durex em minhas orelhas. Ficaram ótimos. Pronto!!Tudo resolvido!!! Havia encontrado uma solução para minhas orelhas. Planejei várias vezes recortar o brinco que o Caetano usava na capa de seu LP, mas não o fiz porque já havia me afeiçoado à capa, rss. Gostava de sentar e admirar aquela coisa estranha de ver um homem lânguido, cabeludo, com um brinco enorme daqueles. Ficava horas pensando se ele era o único índio com cabelos cacheados do mundo. Criava mil hipóteses para aquela capa do LP do Caetano.

Como possuía vários pares de brincos, dos mais luxuosos. Não me separava mais de minha tesourinha amarela e, não podia ver revista em canto nenhum que a primeira ação era, após procurar, os brincos ideais, recortar.

Um belo dia, eis que abre uma hemeroteca em Guaramiranga e fiquei pasma diante de tantas revistas...Não me orgulho disso, mas sequestrei diversas revistas Manchete (as melhores para recortar meus brincos, pois era uma revista grande com muitas fotografias em close) e as devolvia com duas ou três páginas com recortes nas orelhas das pessoas, rss.

Já com meus brincos preciosos, observei que as unhas de minha mãe eram perfeitas e coloridas. Olhando o jardim de beijos (espécie de planta comum na serra), vi que a forma das pétalas eram perfeitas para ter unhas parecidas com as da minha mãe. Colhia as floresinhas e as grudava nas minhas unhas com saliva (rss). Saía pela vizinhança com meus brincos de papel e minhas unhas de pétalas de flor, carregando minha tesourinha amarela em minha bolsinha de crochê. Exibia meus brincos no espelho para mim mesma. As unhas também. E gostava de usar os sapatos com saltos da minha mãe.

Festejava, desde pequenininha, a minha natureza feminina. Brincava de ser mulher, rss. O brilho de meus brincos de papel reluzem na minha memória... Me dá vontade de hoje, adulta e mulher, encontrar essa menininha Aline rainha de seu mundo lindo e admirar junto com ela seus milhares de pares de brincos de papel. Dizer-lhe do quanto eles são valiosos ainda hoje, mesmo com o problema de suas orelhas, há muito custo, resolvidos. Vontade grande de mostrar para essa Aline menininha, meus inúmeros brincos de penas (mais bonitos que aquele do Caetano) e de lhe estender minhas mãos de unhas crescidas e geralmente vermelhas (como as pétalas dos beijos de Guaramiranga).

Que saudade da menininha Aline, que até hoje me ensina todos os dias a encontrar soluções simples, por que a felicidade é da natureza da simplicidade mesmo. Só uma coisa não precisarei dizer à menininha Aline: Que seus brincos são os mais valiosos do planeta! Ela sabe muito bem disso, quando os olha no espelho e eles (os brincos) brilham só para ela.

4 comentários:

Nilde disse...

Aline,
Nunca saia de casa sem sua tesourinha amarela. Sempre temos que saber como resolver o problema de falta de enfeites no mundo!

renattasaturno disse...

Que lindooooooo!!! =*

Aline Lima disse...

Minhas amoras muito mais que queridas! #LOVE

alinematias disse...

Você não tem noção de como ler suas histórias me faz bem, me deixa focada no quanto o mundo tem coisas maravilhosas para mostrar-me e que quase sempre passa sem perceber por conta dessa ansiedade louca...mais daí que chega a aline!!!