Páginas

sexta-feira, 26 de março de 2010

.Rabiscando sóis e sorrindo para a chuva.


[imagem: deviantart]

"Um dia de chuva é tão belo como um dia de sol. Ambos existem: Cada um como é."
[Fernando Pessoa]
.
.
.
Dos dias de trabalho intenso e inacreditavelmente lindos, com os Mestres da cultura popular do Brasil, na quentura de Limoeiro do Norte, depois de tantos aprendizados e sorrisos dos mais sinceros, retomo a 'rotina' da "cidade grande". Cheguei em Fortaleza saudada pelas águas de março, pedidas à São José por aqueles cuja fé não falha jamais. E a divindade atende a quem acredita nela. Derrama-se desde então para que o cobertor da terra se renove em verdes campos e fartura à mesa. Os cearenses são pessoas especiais: Acreditamos na alegria da colheita sem fugir do período da labuta. Percebo isso como um traço característico dessa tribo tão rica e resistente. É uma coisa toda nossa.

Como boa serrana que sou, preciso falar o quanto as chuvas me alegram e me fazem desejar não ter horários à cumprir quando os dias amanhecem cinzas e molhados. São dias em que os pensamentos ficam mais tranqüilos, as atividades acontecem internamente e a introspecção do céu reflete-se dentro do peito, no coração. E a gente chove junto com a chuva, fica cinza-parada-quieta como os dias de "inverno". O pensamento vôa longe...

As ruas ficam tão bonitas com as cores, formas e estampas dos guardas-chuvas. As pessoas ficam mais elegantes também. E é bom abrir o armário e escolher um casaco colorido para sair. Melhor ainda é dormir escutando as águas caírem: Cama cheirosa quentinha, quarto escuro, olhos fechados e a cabeça atenda ao outro lado da janela. (Só fica triste quando pensamos que existem famílias aflitas por conta do que já sabemos: A água abre o caminho que é dela.)

O sol, que é lindo, compartilha com a chuva o céu. E, por vezes, nos presenteiam com arco-íris incríveis que rompem o céu da cidade sobre prédios, no meio do mar, ao final das engarrafadas avenidas, nos dando uma discreta felicidade pelo o sentido da visão.

A Natureza nos ensina a compartilhar. O astro-rei divide o céu com nuvens, luas, estrelas, chuvas. Brilhar sozinho não deve mesmo ter graça. Fico muito grata por tudo...

Sou muito grata por tudo!
É bonito viver!!!

Beijos, Aline.

3 comentários:

Ana Valeska Maia disse...

É bonito viver
É bonito te ler.

-Thiago Matos disse...

Viver é lindo. E ao seu lado mais ainda!
Meu beijo.

Aline Lima disse...

AMO vocês!!!