Páginas

domingo, 18 de outubro de 2009

.Eu, bicho do mato.


[imagem: deviantart]

Lendo o poema de Manoel de Barros, lembrei muito a infância, na serra... Coisas como o cemitério de insetos (tão organizado com as cruzes todas feitas de palitos de fósforo, rss), a observação e o infinito cuidado com formigas e seus formigueiros, a felicidade quando encontrava joaninhas e vaga-lumes, os jardins plantados, a paixão por largatas "de fogo", o bambuzal sonoro, a observação das árvores, do céu, dos pássaros, etc, etc, etc...
Era um tempo em que eu sabia de tudo. Saudade enorme disso.
.
.
.
Aprendo com abelhas do que com aeroplanos.
É um olhar para baixo que eu nasci tendo.
É um olhar para o ser menor, para o
insignificante que eu me criei tendo.
O ser que na sociedade é chutado como uma
barata - cresce de importância para o meu olho.
Ainda não entendi por que herdei esse olhar para baixo.
Sempre imagino que venha de ancestralidades machucadas.
Fui criado no mato e aprendi a gostar das
coisinhas do chão -
Antes que das coisas celestiais.
Pessoas pertencidas de abandono me comovem:
tanto quanto as soberbas coisas ínfimas.

Pote cru é meu pastor...

7 comentários:

Gui disse...

É bom encontrar a felicidade nas simples coisas.. e tbm são bons esses momentos de reflexão, muito legal!

Anônimo disse...

sei que vc não gosta de domingos. mas é nesse dia, especialmente, que sua lembrança surge aqui na cabeça. saudade incrível minha fulô. incrível!

Rafa(el).

R.Vinicius disse...

Algo que me lembra a infância - são os girassóis. :) Abraço.

magna disse...

oie Aline lendo seu texto me lembrei de uma frase "todas as coisas feias e pobres se parecem comigo."não me recordo o autor no momento porém foi a primeira coisa que me veio a cabeça ao ler o seu texto.encontrar a beleza nas pequenas coisas...viver pode ser assim.bejuu e uma ótima semana!

Aline Lima disse...

Gui: simplicidade é uma palavra muito grande... e, vivo correndo em busca dela. =)

Rafa: s-a-u-d-a-d-e-s. domingos são retalhos multicoloridos de nostalgia. =)

Vinícius: que lembrança bonita! =)

Magna: "todas as coisas feias e pobres se parecem comigo." amém!!! ;)

Beeijos pra vocês, meu povo!!!

Evelyn Colly disse...

Tem dias que me sinto exatamente como você, meio pela natureza, pelo pequeno, mais pelo lado de dentro de mim, e é tão bom sentir, pareço encontrar-me no efemero de mim mesma, na minha real pessoa.

Gostei de tudo aqui, belas textos, suaves palavras que me encantaram.

Beijo.

Aline Lima disse...

Evelyn Colly: pois volte sempre sempre que quiser viu? grata pelas palavras! beijim