Páginas

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Linhas de Caio.

[imagem: hakan]


"Dizem que a gente tem o que precisa. Não o que a gente quer. Tudo bem. Eu não preciso de muito. Eu não quero muito. Eu quero mais. Mais paz. Mais saúde. Mais dinheiro. Mais poesia. Mais verdade. Mais harmonia. Mais noites bem dormidas. Mais noites em claro. Mais eu. Mais você. Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca. Eu quero nós. Mais nós. Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala. Nós que não atam nem desatam. Eu quero pouco e quero mais. Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais." 

[Caio Fernando Abreu]
.
.
.
Por aqui uma gripe daquelas (!) com a companhia dos melhores (e mais bonitos) livros, claro! Febre, dor no corpo, no esquema cama-hedredon-tv-antitérmico, rss. Já já passa.

3 comentários:

Mônica. disse...

Tá com os melhores companheiros: cama e Caio! :P

R.Vinicius disse...

Certamente estás em boa companhia. Caio, escreveu um texto um tanto quanto belo e singelo. Procurei um dos livros dele, que você me indicou, mas ainda não o comprei. Essa crise está complicada. Melhoras para a senhorita~.

Abraço,

R.Vinicius

Ana Valeska disse...

Saudade de ti, Aline!
Fica bem, precisar de ajuda, somos quase vizinhas. Bj.