Páginas

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009


[imagem: kuroiAnugeru]

Talvez tudo, talvez nada.
Sem deixar pedaço algum para trás.
Tenho uma vontade besta de voltar, às vezes.
.
.
.
{...}"De repente eu me vi e vi o mundo. E entendi: o mundo é sempre dos outros. Nunca meu. Sou o pária dos ricos. Os pobres de alma nada armazenam. A ver­tigem que se tem quando num súbito relâmpago-trovoada se vê o clarão do não entender. Eu não en­tendo! Por medo da loucura, renunciei à verdade. Minhas idéias são inventadas. Eu não me responsabi­lizo por elas. O mais engraçado é que nunca aprendi a viver. Eu não sei nada. Só sei ir vivendo. Como o meu cachorro. Eu tenho medo do ótimo e do superlativo. Quando começa a ficar muito bom eu ou descon­fio ou dou um passo para trás. Se eu desse um passo para a frente eu seria enfocada pelo amarelado de es­plendor que quase cega". [Clarice Lispector em Um Sopro de Vida]
.
.
.

Sei lá, sonhei coisas estranhas. Acordava, mas quando dormia novamente o sonho continuava. Deve ser a memória presa...

5 comentários:

Invade e Fim. disse...

Que desenho lindo Aline. Também tem dias que acordo com voltado de voltar, mas, fico pensando; Voltar pra onde?! Um beijo...

Mônica. disse...

Hollywoodianos?! :O

Invade e Fim. disse...

Que bom que você gostou Aline, acabei de postar um novo texto por lá...Um beijo.Isso aqui também é muito bom, to adorando teu espaço.

Beijos

Aline Lima disse...

Not Monicat!
Paraibanos!
=P

Tainá :) disse...

Aline liiiiiiiiiinda!
Saudade do seu papo, sabia? :(